Lukasz Karas
Programa de Intercâmbio de Talentos

“Uma experiência inestimável e fascinante”

Lukasz Karas mudou-se de Helsingborg, na Suécia, para a megacidade de Xangai como parte do Programa de Intercâmbio de Talentos da Höganäs. Ele descreve o programa como uma experiência inestimável e fascinante.

Como engenheiro de desenvolvimento de negócios da Höganäs Sweden, Lukasz Karas desempenhou um papel fundamental no projeto Total Powder Metallurgy Car – ou projeto Teardown – no qual três carros foram completamente desmontados para ilustrar o potencial da metalurgia do pó em aplicações automotivas modernas.

Como parte do projeto, ele teve que visitar os EUA com um colega que já havia estado lá em um programa de intercâmbio e possuía uma rede de contatos locais bastante boa. Ele conta que a experiência o motivou a se candidatar a um intercâmbio semelhante. Ele foi aceito no Programa de Intercâmbio de Talentos da Höganäs e se mudou para a China no ano passado, onde está agora em Xangai, uma das maiores cidades do mundo, e trabalhará para a área da APAC durante dois anos.

Segundo ele, a vida na China pode ser um pouco complicada se não falar o idioma; disse que, inicialmente, teve dificuldades com determinadas coisas, tais como identificar as comidas das quais gostava. No entanto, pouco a pouco ele aprendeu não só a se virar, como também a aproveitar de verdade a sua vida em Xangai.

“Um ponto interessante é como nós, no ocidente, tendemos a pensar que os produtos chineses são de menor qualidade. Isto não corresponde à minha experiência. Utilizemos como exemplo os trens. O nível de tecnologia e o padrão geral dos trens de alta velocidade da China são superiores a qualquer coisa que já vi na Europa.”

Durante o período do intercâmbio, Lukasz está ajudando a organização regional da APAC a desenvolver os negócios. Isto lhe ofereceu oportunidades para viajar a outras partes da Ásia, tais como a Coréia do Sul e o Japão, algo que ele descreve como uma experiência muito valiosa.

“Muitas pessoas pensam que a Ásia é uma região uniforme do mundo. Isso está longe de ser verdade. Há uma imensa diversidade, sobre a qual aprendi mais durante as minhas viagens na região. Entender e lidar com culturas diferentes é uma das lições mais importantes que aprendi durante o meu período aqui.”