Operações com neutralidade climática

Clima

Clima e energia

Nosso objetivo é nos tornarmos uma empresa com neutralidade climática até 2045 É um grande desafio, porém necessário. Para minimizar nosso impacto climático, precisamos utilizar métodos estabelecidos e recém-desenvolvidos. Também precisamos investir em pesquisa e inovação para fazermos melhorias que ainda não são possíveis no momento. 

Atualmente o nosso foco é aumentar a eficiência energética, fazer a transição para o uso de energias renováveis na produção e no transporte, substituir os carvões fósseis para processos e reformular o fornecimento de nossos materiais.

Roteiro Climático para 2045

Nosso Roteiro Climático para 2045 foi aprovado pela Gestão do Grupo e lançado em 2019. Ele se baseia em nosso objetivo de nos tornarmos uma empresa com neutralidade climática até 2045 e tem como objetivo dissociar os nossos lucros das emissões com impacto climático. O escopo é tanto nossas emissões diretas quanto indiretas e inclui nosso suprimento de materiais e de energia, nossos processos de produção, planos de pesquisa e desenvolvimento e modelos de negócios.

O Roteiro será o nosso guia para os processos de estratégia e planejamento dos negócios, onde as nossas três principais áreas estratégicas para reduzir o impacto climático serão:

  1. Reduzir as emissões ao aumentar a eficiência energética
  2. Usar mais materiais reciclados para diminuir as emissões primárias
  3. Aumentar o uso de energias e combustíveis renováveis

Um importante fator de sucesso para alcançar a nossa meta de longo prazo é integrar totalmente as metas relacionadas ao clima ao nosso processo interno de planos de negócios. A integração do Roteiro Climático para 2045 em nossas formas de trabalhar nas áreas de produto e em P&D de longo prazo, bem como nos planos de investimento de capital, é crucial para a criação de valor. Governança e consistência são necessárias para capacitar a organização a avançar e a tomar decisões.

Temos plena consciência de que nosso sucesso é altamente dependente de fatores externos, tais como:

  • Cooperação com fornecedores, clientes e outros parceiros de negócios em nossa cadeia de valor.
  • Soluções técnicas novas ou aperfeiçoadas em áreas que vão desde a tecnologia de processos, esquemas para a recuperação e a separação de materiais, fornecimento de energia a partir de fontes renováveis a custos comercialmente viáveis, possibilidades de transporte e muito mais.
  • Modelos de negócios compatíveis com a dissociação dos lucros do impacto climático, para nós e nossos clientes.
  • Incentivos e acordos intergovernamentais, bem como regulamentações locais e regionais que apoiem os setores de serviços e de indústria, bem como empresas individuais em transformação, com possibilidades de um diferencial competitivo intacto ou ainda melhor.

O Roteiro Climático não fornece instruções detalhadas para toda a jornada rumo à neutralidade climática, mas proporciona um ponto de partida, uma direção clara, a velocidade necessária do progresso e as ferramentas para que cada área da organização encontre maneiras de fazer a sua parte. Embora tenhamos pela frente uma jornada repleta de desafios, temos a certeza de que estamos no caminho certo.

Nova técnica para produzir gás para a geração de energia renovável

Atualmente, há poucas alternativas realistas para a Höganäs no sentido de substituir os combustíveis fósseis (gás natural), devido à necessidade de haver precisão no controle do processo, alta temperatura e pureza. Para começar uma mudança, demos início ao projeto Probiostål e a uma colaboração com a Cortus Energy, que desenvolveu o processo Woodroll® , uma técnica para a gaseificação e reestruturação de biomassa em gás para a geração de energia renovável (gás de síntese renovável).

Após vários estudos, uma usina piloto foi construída em nossa unidade de Höganäs, na Suécia, para realizar testes em escala industrial. Se a tecnologia demonstrar que pode ser usada em escala industrial, só a unidade instalada permitirá que reduzamos as nossas emissões de CO2 em cerca de 10.000 toneladas ao ano.

Matérias-primas renováveis

O uso de carvão fóssil para processos que utilizamos em nossa produção é um desafio, o qual estamos procurando tornar mais renovável. A fábrica de ferro-esponja é a única operação no Grupo onde utilizamos coque de origem fóssil e antracite para reduzir o minério de ferro a ferro metálico. Atualmente, o processo de redução é responsável por quase 70 por cento das emissões diretas de CO2 do Grupo Höganäs.

Como parte de nosso programa de desenvolvimento para alternativas renováveis, identificamos e testamos o biochar (carvão vegetal) como um substituto de parte do carvão fóssil. O desenvolvimento atual é promissor e pode, se bem-sucedido, resultar em uma redução de até 10 por cento das emissões diretas totais do Grupo Höganäs ou o equivalente a 28.000 toneladas de CO2 ao ano.

A usina piloto de gás para a geração de energia renovável também pode ser utilizada para produzir biocoque. Isso nos permitirá avaliar o carbono de processos biogênicos a partir de diversas matérias-primas renováveis, com o objetivo a longo prazo de substituir ao máximo o carvão fóssil no processo do ferro-esponja.

Gestão de energia

O uso de energia da Höganäs é composto pelo consumo de combustíveis e de energia adquirida. Parte da energia utilizada é convertida em calor residual, o qual podemos fornecer a terceiros. A maior parte vai para o aquecimento urbano e uma parcela para a estação municipal de tratamento de água.

A nossa iniciativa de eficiência energética atual, o ‘Energy Challenge’, tem o objetivo de reduzir o uso de energia em 10 por cento a cada tonelada produzida de pó metálico entre 2010 e 2020, que é uma meta desafiadora. Uma meta adicional para assegurar o manuseio eficiente da energia é fazer com que as nossas unidades operacionais com o maior consumo de energia e operações de fusão sejam certificadas conforme a norma de gerenciamento de energia ISO 50001 até o final de 2021. Nossas principais unidades de produção suecas já foram certificadas e as outras estão a caminho.

Pesquisa para substituir o carvão fóssil

A Höganäs está trabalhando em vários canais paralelos para parar gradualmente de usar o carvão fóssil e reduzir o seu impacto climático. Para substituir o principal elemento, o carvão fóssil, é necessário uma pesquisa mais fundamental sobre o carvão biológico e suas propriedades. É aqui que a Luleå University of Technology oferece a sua ajuda em um projeto conjunto de pesquisa, apoiado pela agência sueca de energia.

“O projeto desenvolverá conhecimentos do carvão biológico para substituir ao máximo o carvão fóssil em nossos processos de fabricação e em outras empresas da indústria,” afirmou Ryan Robinson, engenheiro da Höganäs.

O projeto de pesquisa está estruturado em três estágios, que essencialmente significa que a equipe de pesquisa elaborará uma especificação para o carvão biológico para os dois principais processos da Höganäs para pós metálicos: o processo de ferro-esponja e o de atomização. Em seguida, eles investigarão os diversos parâmetros do processo para a produção de carvão biológico para atender às especificações. O terceiro e último estágio é criar um modelo de dados para que possam expandir a capacidade da aplicação mais especificamente no processo de ferro-esponja. Paralelamente a isto, a Höganäs está realizando testes práticos para observar como o material se comporta em uma escala maior.

Kentaro Umeki, professor associado da Luleå University, é o gerente de projeto e está sendo auxiliado por dois pesquisadores-chefe e três doutorandos.

“Queremos contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade mais sustentável através de nossa pesquisa. A Höganäs é uma parceira séria e ativa que realmente deseja transformar o seu sistema de produção, que atualmente usa grandes volumes de carvão fóssil, em um sistema livre de fontes fósseis. Para que estas metas climáticas sejam alcançadas, todas as empresas na indústria siderúrgica devem fazer o mesmo. O impacto ambiental será um dos critérios mais importantes na escolha dos produtos pelos consumidores, sendo de extrema importância para nós podermos escolher produtos que são produzidos com aço ecológico,” afirmou Kentaro Umeki.

Trabalhamos para substituir o carvão e os combustíveis de origem fóssil por alternativas renováveis

Relatos de caso

“O projeto desenvolverá conhecimentos sobre o carvão biológico para substituir ao máximo o carvão fóssil”

Ryan Robinson, engenheiro da Höganäs.

 

 

Clima