Operações com neutralidade climática

Clima

Clima e energia

Nosso objetivo é nos tornarmos uma empresa com emissões zero até 2037. É um grande desafio, porém necessário. Para minimizar nosso impacto climático, precisamos utilizar métodos estabelecidos e recém-desenvolvidos. Também precisamos investir em pesquisa e inovação para fazermos melhorias que ainda não são possíveis no momento. 

Atualmente, o nosso foco é fazer a transição para o uso de energias renováveis na produção e no transporte, substituir os carvões fósseis para processos, aumentar a eficiência energética e reformular o fornecimento de nossos materiais.

Roteiro Climático

Uma decisão estratégica para se tornar zero em emissões foi aprovada pela gerência do Grupo em 2019. Desde então, lançamos nosso Roteiro Climático que mostra as ações, prioridades e investimentos necessários para a transformação, com base em nossa grande ambição de nos tornarmos uma empresa com zero emissões em nossa cadeia de valor até 2037. Isso inclui repensar nosso fornecimento de materiais e energia, nossos processos de produção, planos de pesquisa e desenvolvimento e modelos de negócios.

O Roteiro Climático consiste em planos de ação concretos, que são ancorados em nível local, consolidados em nível do Grupo e integrados nos processos de planejamento de negócios. O plano é atualizado anualmente e as ações são frequentemente acompanhadas para identificar obstáculos em um estágio inicial e garantir que tenhamos progresso.

A integração do Roteiro Climático aos planos de negócios e a tomada de decisões estratégicas é um fator-chave de sucesso para alcançarmos a adaptação climática, também através da cooperação com fornecedores, clientes e outros parceiros de negócios em nossa cadeia de valor.

Os principais blocos de desenvolvimento para nos tornarmos livres de combustíveis fósseis em nossas próprias operações são:

  • Deixar de usar combustíveis fósseis e usar combustíveis renováveis e/ou eletrificação
  • Substituir o coque metalúrgico fóssil e o antracite pelo biochar (carvão vegetal)
  • Uso de eletricidade produzida sem combustíveis fósseis

Para atingir nossa meta até 2030, identificamos três áreas principais:

  1. Substituição de parte de nosso coque e antracite oriundos de combustíveis fósseis por biochar (carvão vegetal)
  2. Substituição do gás natural pelo biogás e transição para veículos elétricos ou combustíveis renováveis
  3. Compra de toda a nossa eletricidade de fontes que não empregam combustíveis fósseis

O Roteiro Climático da Höganäs baseia-se no objetivo de nos tornarmos uma empresa com emissões zero até 2037, e o escopo abrange as emissões diretas e indiretas.

     
 

Metas climáticas

  • 2030: Emissões zero* em operações próprias (escopo 1 e 2)
  • 2030: 30% de redução do escopo 3 em atividades de produção, com foco em matérias-primas**
  • 2037: Emissões zero em toda a cadeia de valor (escopo 1, 2 e 3 em atividades de produção)

*O termo emissões zero quer dizer reduzir as emissões de gases de efeito estufa e, quando não houver possibilidade de eliminar mais emissões, neutralizar as emissões restantes com tecnologias permanentes de remoção de carbono.
**Do berço ao portão, ano base 2018

 
     

Para alcançar uma redução de 30% nas emissões no escopo 3 relacionado às nossas matérias-primas, é necessário cooperar com fornecedores que tenham o objetivo de reduzir suas emissões. Também adotaremos nosso plano de ação para sistematicamente fazer inventários e substituir todos os materiais que identificamos como altos emissores por alternativas com baixa emissão de carbono, sempre que disponíveis.

Para alcançar emissões zero na cadeia de valor, também precisamos reduzir as emissões indiretas das matérias-primas e do transporte que adquirimos. Para isso, precisamos garantir o acesso a matérias-primas e ao transporte com baixo teor de carbono, por meio de nossa cadeia de suprimento. Também precisamos cooperar com os clientes para aproveitar os benefícios da redução das emissões de carbono de nossos próprios produtos em suas aplicações.

Dependemos de fatores externos, tais como o acesso a energias livres de combustíveis fósseis, biocombustíveis e biochar (carvão vegetal) e tecnologias capazes de remover permanentemente o carbono da atmosfera (Captura e Armazenamento de Carbono).

Também precisamos de incentivos e acordos intergovernamentais, bem como de regulamentações locais e regionais que apoiem a adaptação climática do setor, para que possamos nos transformar em larga escala e, ao mesmo tempo, permanecermos competitivos.

O Roteiro Climático dá uma boa ideia do caminho que precisamos percorrer em um nível concreto e detalhado, com base nos conhecimentos que temos hoje. No entanto, as circunstâncias mudam rapidamente e novas oportunidades aparecerão à medida que forem desenvolvidas. A atualização anual do plano garantirá que novos conhecimentos sejam adicionados e que novas oportunidades sejam continuamente incluídas no plano.

Nosso progresso no que diz respeito ao Roteiro Climático é rastreado trimestralmente por meio do acompanhamento das principais atividades e KPIs.

Uso de energia

O uso de energia da Höganäs consiste principalmente no consumo de combustível e eletricidade comprada e no aquecimento urbano. O gás natural é a maior fonte de energia de combustível não renovável usada em nossos processos de produção. Também utilizamos diesel e gasolina para veículos e outros motores, bem como o GLP.

A energia excedente de nossos processos é convertida em calor residual, que fornecemos a terceiros. A cada ano, fornecemos aproximadamente 66.000 MWh na forma de calor excedente para as usinas de aquecimento urbano e plantas de tratamento municipal nas cidades suecas de Höganäs e Halmstad, o que economiza o equivalente a 13.000 toneladas de emissões de dióxido de carbono em comparação com a combustão de gás natural.

Adquirimos aproximadamente 487.000 MWh de eletricidade, dos quais 57% são provenientes de fontes renováveis ou parcialmente renováveis. Produzimos cerca de 590 MWh de eletricidade renovável em nossas próprias instalações por meio de painéis solares.

Nova técnica para produzir gás para a geração de energia renovável

Atualmente, há poucas alternativas realistas para a Höganäs no sentido de substituir os combustíveis fósseis (gás natural), devido à necessidade de haver precisão no controle do processo, alta temperatura e pureza. Para começar uma mudança, demos início ao projeto Probiostål e a uma colaboração com a Cortus Energy, que desenvolveu o processo Woodroll® , uma técnica para a gaseificação e reestruturação de biomassa em gás para a geração de energia renovável (gás de síntese renovável).

Após vários estudos, uma usina piloto foi construída em nossa unidade de Höganäs, na Suécia, para realizar testes em escala industrial. Se a tecnologia demonstrar que pode ser usada em escala industrial, só a unidade instalada permitirá que reduzamos as nossas emissões de CO2 em cerca de 10.000 toneladas ao ano.

Matérias-primas renováveis

O uso de carvão fóssil para processos que utilizamos em nossa produção é um desafio, o qual estamos procurando tornar mais renovável. A fábrica de ferro-esponja é a única operação no Grupo onde utilizamos coque de origem fóssil e antracite para reduzir o minério de ferro a ferro metálico. Atualmente, o processo de redução é responsável por quase 70 por cento das emissões diretas de CO2 do Grupo Höganäs.

Como parte de nosso programa de desenvolvimento para alternativas renováveis, identificamos e testamos o biochar (carvão vegetal) como um substituto de parte do carvão fóssil. O desenvolvimento atual é promissor e pode, se bem-sucedido, resultar em uma redução de até 10 por cento das emissões diretas totais do Grupo Höganäs ou o equivalente a 28.000 toneladas de CO2 ao ano.

A usina piloto de gás para a geração de energia renovável também pode ser utilizada para produzir biocoque. Isso nos permitirá avaliar o carbono de processos biogênicos a partir de diversas matérias-primas renováveis, com o objetivo a longo prazo de substituir ao máximo o carvão fóssil no processo do ferro-esponja.

Pesquisa para substituir o carvão fóssil

A Höganäs está trabalhando em vários canais paralelos para parar gradualmente de usar o carvão fóssil e reduzir o seu impacto climático. Para substituir o principal elemento, o carvão fóssil, é necessário uma pesquisa mais fundamental sobre o carvão biológico e suas propriedades. É aqui que a Luleå University of Technology oferece a sua ajuda em um projeto conjunto de pesquisa, apoiado pela agência sueca de energia.

“O projeto desenvolverá conhecimentos do carvão biológico para substituir ao máximo o carvão fóssil em nossos processos de fabricação e em outras empresas da indústria,” afirmou Ryan Robinson, engenheiro da Höganäs.

O projeto de pesquisa está estruturado em três estágios, que essencialmente significa que a equipe de pesquisa elaborará uma especificação para o carvão biológico para os dois principais processos da Höganäs para pós metálicos: o processo de ferro-esponja e o de atomização. Em seguida, eles investigarão os diversos parâmetros do processo para a produção de carvão biológico para atender às especificações. O terceiro e último estágio é criar um modelo de dados para que possam expandir a capacidade da aplicação mais especificamente no processo de ferro-esponja. Paralelamente a isto, a Höganäs está realizando testes práticos para observar como o material se comporta em uma escala maior.

Kentaro Umeki, professor associado da Luleå University, é o gerente de projeto e está sendo auxiliado por dois pesquisadores-chefe e três doutorandos.

“Queremos contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade mais sustentável através de nossa pesquisa. A Höganäs é uma parceira séria e ativa que realmente deseja transformar o seu sistema de produção, que atualmente usa grandes volumes de carvão fóssil, em um sistema livre de fontes fósseis. Para que estas metas climáticas sejam alcançadas, todas as empresas na indústria siderúrgica devem fazer o mesmo. O impacto ambiental será um dos critérios mais importantes na escolha dos produtos pelos consumidores, sendo de extrema importância para nós podermos escolher produtos que são produzidos com aço ecológico,” afirmou Kentaro Umeki.

Relatos de caso

“O projeto desenvolverá conhecimentos sobre o carvão biológico para substituir ao máximo o carvão fóssil”

Ryan Robinson, engenheiro da Höganäs.

 

 

Clima